A diabetes acomete aproximadamente 7% da população brasileira. Por ser uma doença tão próxima de boa parte das pessoas, surgiram muitos mitos em relação às suas causas. A Dra. Susan Onuma, endocrinologista da clínica Primed, explica melhor sobre a diabetes na entrevista a seguir.

O que é a diabetes?

Dra. Susan: A diabetes é uma doença crônica caracterizada pelo aumento de glicose no sangue.

Quais os principais sintomas?

Dra. Susan: Essa doença é caracterizada por sintomas como sede excessiva e aumento da quantidade de urina, consequentemente, da quantidade de vezes que a pessoa vai ao banheiro. Vale ressaltar que esses sintomas já são indicativos de que a diabetes do paciente está muito alta e descompensada. A diabetes em estágio inicial ou controlada costuma ser assintomática, o que faz com que o paciente demore a procurar o médico por suspeita da doença.

Como é feito o diagnóstico da doença?

Dra. Susan:: Em exames de sangue pela glicemia de jejum acima de 126 mg/dl e/ou hemoglobina glicada acima de 6,5%. Se em qualquer horário do dia a glicemia capilar, que é o exame de furar o dedo, estiver acima de 200 é indicativo de diabetes.

Quais são os tipos de diabetes?

Dra. Susan: Existem dois tipos mais comuns de diabetes melitus (DM). O DM1 ocorre em crianças e adolescentes e representa a ausência de produção de insulina pelo corpo do paciente. A causa da doença é autoimune, ou seja, há a rejeição das células beta-pancreáticas que produzem a insulina, causando a morte celular. Nesse tipo de diabetes há uma incapacidade do corpo produzir insulina. O tratamento precisa ser com a reposição da insulina.
O DM 2 representa a maior parte dos paciente diabéticos, é mais comum em adultos e idosos acontece quando o paciente não produz insulina o suficiente para seu corpo para controlar a glicemia. Esse tipo de diabetes permite que seja feito tratamento com medicamento via oral, se a pessoa ainda tiver células produtoras de insulina. Em casos de doença avançada pode ser necessário tratamento com insulina.

O que causa a morte das células produtoras de insulina?

Dra. Susan: A obesidade causa o que chamamos de resistência insulínica, o que quer dizer que suas células produtoras de insulina trabalham exaustivamente e isso acelera a morte delas. É considerada obesa a pessoa com IMC superior a 30. Existem medicamentos que podem causar a diabetes também, principalmente os corticoides. Além desses dois fatores, pode ser causada por pancreatite (inflamação do pâncreas que pode levar a perda de células), seja medicamentosa ou não.

Existe relação entre hereditariedade e diabetes?

Dra. Susan: O tipo 1 não é hereditário, mas no tipo 2 pode ser hereditária sim.

A diabetes pode causar cegueira?

Dra. Susan: A diabetes é a principal causa de perda de visão no mundo, mas a cegueira é uma sequela da doença. O aumento da glicose sanguínea vai causar uma inflamação dentro dos vasos da retina (que é o fundo do olho), onde é feita a codificação visual. Essas hemorragias no fundo do olho danificam células importantes para a visão. Existe tratamento para estacionar o quadro mas somente se for diagnosticada precocemente. No entanto, uma vez perdida a visão, não é possível recuperá-la. Por isso, qualquer alteração da visão em diabéticos pode ser um sinal de alerta e deve-se buscar um especialista.

A alta ingestão de açúcar pode ser uma das causas da doença?

Dra. Susan: A alimentação está relacionada à obesidade, mas não existe nenhum estudo que diga que a ingesta de açúcar é causa direta da doença. O que o açúcar pode fazer é contribuir para o excesso de peso e para a exaustão das células produtoras de insulina.

Quais as restrições alimentares que o paciente com diabetes deve ter?

Dra. Susan: Os pacientes que tem diabetes devem retirar da sua dieta o açúcar branco, trocando por adoçante, e a farinha branca ou refinada, substituindo-a pela integral. Devem restringir (controlar a quantidade) o consumo de carboidratos, como frutas, farinha integral, arroz, batata, entre outros.

E há restrições quanto à exercícios físicos para esses pacientes?

Dra. Susan: Quando a diabetes está muito descontrolada, com a glicemia muito alta, não é recomendado, o organismo pode estar debilitado e com a imunidade baixa favorecendo doenças infecciosas ou outros quadros graves de descompensação aguda do diabetes como cetoacidose diabética.
Já para quem estiver com a glicemia controlada, pode realizar exercícios físicos, sim. Consideramos como controlada a glicemia abaixo de 200.

Existe cura para a diabetes?

Dra. Susan: A diabetes é uma doença crônica, ou seja, não há cura. Uma vez diagnosticado o paciente terá que ter um cuidado para o resto da vida. São feitos ajustes para o organismo controlar a glicemia, o tratamento pode normalizar o exame, mas não “tiramos” a doença paciente.

Dra. Susan Massumi Onuma
Endocrinologista
CRM 19839/ PR

Graduada pela Universidade Estadual de Londrina.
Residência em Clínica Médica e em Endocrinologia pela Universidade Estadual de Londrina.
Associada à Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia.

© 2017 - Clínica Primed desenvolvido por TagBit

%d blogueiros gostam disto: