O refluxo é uma doença que atinge milhões de pessoas, mas que pode ser confundida com outras causas. O Dr. Fabio Milleo, cirurgião bariátrico e do aparelho digestivo da clínica Primed, explica o que é essa doença na entrevista a seguir.

O que é o Refluxo Gastroesofágico?

Dr. Fabio: O refluxo é o retorno do conteúdo gástrico para o esôfago, no caso de refluxo gastroesofágico, mas pode ocorrer também o refluxo duodenogastroesofágico, onde o conteúdo do duodeno pode vir para o estômago e ambos os conteúdos irem para o esôfago.

Quais são as causas dessa doença?

Dr. Fabio: O que leva ao refluxo não é uma causa única, sendo multifatorial muitas vezes. Podemos citar como possíveis causas os pacientes que possuem um defeito anatômico na transição do esôfago para o estômago, que é o alargamento do hiato esofágico, causando a hérnia hiatal. Também pode ser considerada uma causa do refluxo alguns problemas na “engrenagem” na evolução do alimento dentro do estômago, sendo assim um defeito mecânico do esfíncter inferior do estômago. Além disso, a alimentação também pode ser causa desse problema. Uma alimentação em excesso, alto consumo de gordura e de bebidas gaseificadas. No entanto, a alimentação isoladamente não vai causar o refluxo. Ela deve estar associada a algum outro defeito do organismo como os mencionados inicialmente para desenvolver o problema.

Quais são os sintomas do Refluxo?

Dr. Fabio: O paciente pode apresentar sintomas típicos e atípicos do refluxo. Como típicos podemos citar a pirose (azia), a sensação de que o conteúdo, o líquido ou até mesmo o alimento sólido está voltando (que seria o refluxo em si). Os sintomas atípicos podem ser pigarro, tosse, bronquite. Ressalto que a presença desses sintomas atípicos podem ser derivados do refluxo ou de uma doença primária do órgão respiratório. Não são uma relação direta com o refluxo, eles seriam sintomas secundários.

Existe um perfil de pessoa mais propensa a desenvolver a doença?

Dr. Fabio: Não. Ela pode atingir diversas idades e vai se manifestar a partir da presença de elementos como os citados nas causas. No entanto, pelo aumento de peso é possível que o paciente tenha uma propensão maior a desenvolver a doença.

Como é feito o diagnóstico do refluxo?

Dr. Fabio: O diagnóstico é feito através da história clínica do paciente e de exames diagnósticos, que podem ser endoscopia, o raio X contrastado e outros diagnósticos funcionais do órgão, como manometria e phmetria.

Qual o tratamento para essa doença?

Dr. Fabio: Sempre o tratamento deve ser clínico, começando por uma readequação alimentar e tratamento medicamentoso. Essa correção alimentar engloba evitar comer em grandes volumes, não comer alimentos gordurosos e não ingerir bebidas gaseificadas, evitar o consumo de mentolados, de chiclete, entre outros.
Caso o paciente não tenha uma resposta boa ao tratamento clínico é considerada a opção de cirurgia. Após a cirurgia é necessário ainda que o paciente mantenha uma disciplina alimentar segundo as orientações médicas.

A doença pode voltar a aparecer no mesmo paciente depois de tratada?

Dr. Fabio: A doença do refluxo é crônica, por isso é necessário um cuidado contínuo para evitar o reaparecimento e o controle da mesma. Mesmo a cirurgia não irá trazer “imunidade”. É primordial que o paciente faça sua parte e cuide da sua alimentação.

Dr. Fabio Quirillo Milleo
Cirurgião Bariátrico e do Aparelho Digestivo
CRM 8507/ PR
RQE 10217

Graduado pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR).
Residência em Cirurgia Geral pelo Hospital da Cruz Vermelha sede Paraná.
Membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica e do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva.
Mestre e doutor em Cirurgia pela Universidade Federal do Paraná

© 2017 - Clínica Primed desenvolvido por TagBit

%d blogueiros gostam disto: