Apesar de ser um tipo de câncer de pouca prevalência , representando cerca de 2% dos casos de câncer no mundo, o câncer de pâncreas é muito letal e pode evoluir para um quadro mais sério pelos órgãos vitais próximos à esse órgão. O Dr. Ricardo Aurichio, cirurgião oncológico especializado em cirurgia hepato-bilio-pancreática, explicar mais sobre esse câncer e sobre seu tratamento na entrevista a seguir.

O que é o câncer de pâncreas?
Dr. Ricardo: É o crescimento desordenado de células originarias comumente nos ductos pancreáticos . O pâncreas é um órgão responsável pela secreção de algumas substâncias endócrinas e exócrinas, que são responsáveis principalmente pela digestão dos alimentos.
Quais são os principais sintomas da doença?
Dr. Ricardo: Em estágios iniciais, o câncer de pâncreas é pouco sintomático devido à sua localização peculiar, com casos eventuais de dores abdominais e sintomas de má digestão. Já nos estágios mais avançados identifica-se principalmente a icterícia (“amarelão”) e dor abdominal com irradiação para o dorso. Demais sintomas que podem aparecer: perda de peso e falta de apetite, problemas digestivos, urina escura, fezes de cor clara e coceira na pele.

Como é feito o tratamento?
Dr. Ricardo: Dos pacientes acometidos por essa doença, cerca de 20% serão candidatos a cirurgia com finalidade curativa. A via laparoscópica (popular cirurgia a laser) deve ser a preferencial pelo menor trauma cirúrgico e conseqüente melhor recuperação. Várias modalidades de tratamento são disponíveis atualmente. Para aqueles pacientes que o câncer não se disseminou a cirurgia é a melhora opção fornecendo a oportunidade de cura. Infelizmente a cirurgia não é possível em muitos pacientes porque frequentemente a doença está avançada na época do diagnóstico. Nestes casos, a terapia multimodal (quimioterapia e/ou radioterapia) serão recomendados antes ou após a cirurgia (terapia adjuvante /terapia neoadjuvante).
Como saber se o paciente é candidato para a cirurgia ou não?
Dr. Ricardo: Após a definição do diagnostico de câncer de pâncreas , o paciente deve realizar exames de imagem para o estadiamento do tumor .A tomografia abdominal computadorizada é o principal exame para diagnosticar e definir a ressecabilidade destes tipos de tumor, ela pode revelar o bloqueio dos canais biliares e/ou ductos pancreáticos, uma massa no pâncreas ou na regiãoperiampular (onde o ducto biliar, pâncreas e duodeno se unem), e também evidências da disseminação do tumor para outros locais além do pâncreas (ex. fígado). O estudo desses vasos sanguíneos e sua relação com o tumor têm importante papel na decisão do cirurgião de realizar ou não um procedimento de ressecção, de retirada do tumor.

É possível evitar esse câncer?
Dr. Ricardo: Existem alguns fatores associados ao câncer de pâncreas que podem ser controlados, tais como o tabagismo, ter uma dieta saudável, evitando alimentos ricos em açucares, enlatados e embutidos, além de estar atento ao histórico familiar. Cerca de 5 a 10% das pessoas com o dignostico deste tipo de câncer tem relação com um fato genético associado, os demais fatores são passiveis de prevenção.

Dr. Ricardo Augusto Eineck Aurichio
Oncologista cirúrgico/ Cirurgia hepato-bilio-pancreática
CRM 25806/ PR

Graduado pela Pontifícia Católica do Paraná (PUC-PR).
Residência em Cirurgia Geral pela Santa Casa de Curitiba e em Cirurgia Oncológica pelo Hospital Evangélico de Curitiba.
Membro titular da International Hepato-Pancreato Biliary Association (IHPBA) e membro titular do capítulo brasileiro da IHPBA.

CategoryEntrevista

© 2017 - Clínica Primed desenvolvido por TagBit

%d blogueiros gostam disto: